Saturday, August 20, 2016

Como se estivesse jogando sal em seus cortes


Ela tinha tomado uma resolução. Estava resignada. Pararia de acreditar em romance, casamento e todas essas coisas.
Confiar nas pessoas já não cabia mais. Elas apenas decepcionavam, puxavam, puxavam o tapete, traíram.
E ela mantinha essa aparente confiança. Estava tudo bem ficar solteira a vida toda, ter uma casinha branca de varanda, com um quintal e uma janela para ver o sol nascer. Um lugar calmo para sentar, ler, ouvir música e escrever, com vários bichinhos de estimação. Nada alegraria mais seu coração. Porque ninguém precisa de namorado para ser feliz. Nem casar.
Mas, a cada vez que alguém comentava sobre algum noivado, casamento, era como se estivesse jogando sal em seus cortes. Eles estavam abertos e sangrando. Dores de ver famílias partidas e casamentos infelizes. A dor de saber que não poderia envolver alguém no turbilhão de emoções negativas que carregava desde a infência, nem ser responsável pela infelicidade dos outros.
Então, passava por mais essa, assoprando os cortes, dizendo a si mesma que ficaria tudo bem. Escondia seu coração e fingia mais uma vez que era uma pedra de gelo. 
Porque o gelo anestesia a dor.

Wednesday, August 17, 2016

Resenha: Harry Potter and the Cursed Child


Isso não é realmente uma resenha. Acho meio pretensioso. Vou apenas fazer alguns comentários sobre Harry Potter and the Cursed Child(Harry Potter e a Criança Amaldiçoada). Essa é uma visão subjetiva, então vocês podem ter suas próprias impressões e ninguém está certo ou errado, ok? Here we go!
Para quem caiu na Terra de paraquedas ou esteve dormindo nos últimos 19 anos e não conhece Harry Potter, procura aí a Wikipédia, para esse texto não ficar muito grande, certo? ;)
 Harry Potter and the Cursed Child é o oitavo título da série "Harry Potter" e acontece dezenove anos depois do epílogo do sétimo livro, "Relíquias da Morte". A história agora é focada no filho do meio de Harry, Albus Severus Potter(Alvo Severo Potter) e foi primeiramente escrita como peça de teatro; depois transformada em livro.
É aqui que cabe meu primeiro comentário. Para quem não gosta de(ou não está acostumado a) ler roteiros, não desanime. Esse formato torna a leitura fácil, ágil e dinâmica. Não vá ler esperando riqueza de detalhes de cenário, personagens, etc, marca da nossa querida Jo. Há carência de rubricas e muitas vezes não há uma transição clara nem o anúncio de entrada de um personagem. Contudo, temos que considerar que essa é uma versão de ensaio. A próxima edição incluirá anotações e outras explicações. Vamos esperar.
Sentimos falta de alguns personagens? Sim! De vários! Como Teddy Lupin, os Weasley... Ai, Deus, são tantos. Mas é uma peça, com um tempo curto para ser desenvolvida.
Quem espera/esperava que Alvo, Escórpio e Rosa formassem o novo Trio de Ouro, não espere ver muito a Rosa. Mas ela está lá, como um vislumbre da Mione em "A Pedra Filosofal".
A história emociona? Sim. Há momentos realmente tocantes e posso apenas imaginar como se sentiram as pessoas que assistiram à peça, com todo o envolvimento emocional da música, efeitos, luzes, ação... Só imaginar mesmo :(
Houve comentários de que a história parece uma fanfic, é verdade? Sob o efeito de Veritasserum, eu diria "sim, parece". Há alguns detalhes e fatos que, para mim, parecem estranhos, surreais(mesmo para HP), que não se encaixam nas histórias prévias. Porém, temos que lembrar que o enredo foi lido, alterado e aprovado pela J.K. Ela parece muito ciumenta com o universo que criou e nunca aprovaria algo que não achasse certo ou conveniente. E não entendo o que as pessoas têm contra fanfics.
Eu desfrutei da leitura. Não sou fluente em inglês, mas não tive maiores dificuldades e foi bom aprender palavras novas. Foi ótimo ver Harry, Rony e Hermione mais uma vez, ter um novo livro de Harry Potter e uma continuação da série! Algumas partes me fizeram sorrir e outras me tocaram. Não cheguei a chorar, mas lerei de novo e de novo, como os outros sete.
Independente de qualquer coisa, a essência da série "Harry Potter" continua em Cursed Child. A valorização da amizade, da família, como lidar com a luz e a escuridão que possuímos dentro de nós, a difícil tarefa de crescer e como os pais têm impacto direto sobre seus filhos e como crescemos com a jornada.
E, claro, frases. Frases de efeito que são verdadeiras lições de vida, como essa do Escórpio:
"Pena é o começo(...) de uma base, sobre a qual construímos um palácio - o palácio do amor."
Brincadeira. A minha preferida é do Dumbledore:
"Sofrer é tão humano quanto respirar."

Soraya Freire é escritora, gestora ambiental e Potterhead há mais de dez anos.

Páginas